quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O despenteado do Chiado


Não sei o que pensar, mil suposições se impõe,
quando a meu lado te levo, dentro de mim te procuro.
A mente é algo traiçoeira.
O coração é ratoeira.
Rapinas os meus trilhos de solidão,
ofertas-me sedução.
Ardesse-me a vista,
me pausasse a respiração.
- E então?
não sei o que te dizer.



4 comentários:

Eros disse...

Não uses então palavras. Fulmina-o com o olhar que o cognomina de "Deitado do Chiado"...

Leão da Estrela disse...

Por Chiado, cuidei que fosse o meu grande amigo Patife, sempre à caça por essas bandas. Mas não, é um despenteado que te deixa de cara à banda.
E oferecer-lhe um pente? :))

Jokas, Laidinha da minha vida! :))

Shiver disse...

Fez-me lembrar o Antonio Variações......

Imprópriaparaconsumo disse...

Deixa o corpo falar. Às vezes é suficiente.