terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

é bonito. É da cidade!

 alô.., quem? O amor!?  não percebo nada...


Tudo gente bonita, aqui na nossa aldeia!
Não diziam, mas sei que pensavam, aqueles que tinham sido "chutados para o charco".
Até aqui, se é preciso bonito. Magro, radioso, mais para o poderoso e claro bem vistoso! Ou será um manipular manhoso? Aldeia cruel.
Não diziam, mas sei que pensavam, aqueles que tinham sido "chutados para o charco".
Na aldeia, que passa a vila e a ambicionada cidade, algum quer a sua chave. E que lhe beijem entranhas, sobre a grandeza de suas manhas! Vila cruel.
Não diziam, mas sei que pensavam, aqueles que tinham sido "chutados para o charco".
- E porque não fui eu convidado? O bonito está sempre safo...

 alô.., quem? O amor!?  não percebo nada...


10 comentários:

Casaert disse...

:D não foste convidada porque a ligação estava má :d

beijo

Baby Suicida disse...

sim, a ligação era péssima!!!

Aperto Casaert

Shiver disse...

Ninguem percebe nada :)

Baby Suicida disse...

Shiver, a aldeia é confusa e misteriosa. Ou não... nicho?

Aperto baralhado :)

Vício de Ti disse...

:)

eu diria que o bonito arranja sempre par :)

Beijo :)

Baby Suicida disse...

Vicio, mas o bonito escolhe par! Quase sempre mal :( que cruz enfadonha...

Aperto viciado ;)

xilre disse...

O que dizem é ar, o que pensam, água. Dizer e pensar são provisórios, como a beleza. Definitivo, apenas o momento presente. Isso, na aldeia não sabem nem suspeitam -- o que faz toda a diferença.

Imprópriaparaconsumo disse...

Consigo imaginar-te assim, de língua de fora e a dizer umas asneiras pelo meio :p

Baby Suicida disse...

Xilre, isso, na aldeia não sabem, nem suspeitam... julgam que sim ou que não!

Aperto com barulho

Baby Suicida disse...

Imprópriaparaconsumo, e imaginas ainda pouco :) !!!

Aperto muito próprio em ti.